Quer abrir uma loja virtual?

Como ser um revendedor na internet — orientações e exemplos

Como ser um revendedor na internet

Ninguém precisa ser um gênio e ter uma ideia revolucionária para vender produtos on-line. A verdade é que você nem precisa criar ou fazer seus próprios produtos para obter muito sucesso com uma loja virtual.

São muitos os modelos de negócio que deixam terceiros cuidando do desenvolvimento, fabricação, investimento inicial... e você só cuida das vendas e do lucro. Um deles é o bom e velho modelo de revenda.



Virar revendedor é uma ótima maneira de abrir seu negócio on-line e começar a ganhar dinheiro. Descubra como se tornar revendedor e leia dicas e ideias para chegar já fazendo sucesso no empreendedorismo na web.

O que é um revendedor? 

Um revendedor compra artigos de fabricantes, atacados ou outros tipos de comércio e os vende para seus clientes. 

A revenda é bem parecida com o modelo de dropshipping, no qual a loja compra produtos e materiais de fornecedores e os apresenta para vendas em seus sites, lojas e plataformas. Isso facilita muito para o consumidor final encontrar determinados produtos que deseja ou precisa.

Outro ponto é que o revendedor agrega valor à experiência do comprador. Por exemplo, sabemos que não é tão simples comprar direto de um atacadista ou fabricante, principalmente porque é muito comum que quantidades mínimas para compra sejam estabelecidas. Mas o revendedor vende apenas o produto do qual o consumidor precisa, após adicionar sua margem, além de proporcionar toda a experiência de compra com sua marca. Coisas como descrições específicas, resenhas, programa de fidelidade e atendimento são grandes pontos positivos para o cliente.

Especialmente se você detém conhecimento aprofundado num nicho específico, o modelo de revenda pode ser muito benéfico e lucrativo. Uma loja de comércio eletrônico é fácil de montar, e começa a operar em pouquíssimo tempo. Assim, você pula as fases de desenvolvimento e conquista de um público para o produto.

Para quem é imbatível no marketing, as revendas podem ser verdadeiras minas de ouro.

O lado negativo é que pode ser mais difícil atrair clientes quando se atua como revendedor. Seu foco deve estar em montar estratégias de marketing eficientes e bem elaboradas.

Revender produtos é uma boa pedida para quem tem conhecimentos específicos sobre um setor ou público especial. Por exemplo, quem é especialista em comportamento animal pode abrir uma loja para vender brinquedos e produtos para pets, oferecendo conselhos e orientação com base na confiança que o público tem em suas opiniões.

Como se tornar um revendedor?

Abra seu CNPJ. Hoje em dia, temos modelos simples como MEI que ajudam microempreendedores a cuidar de todos os seus impostos e obrigações de forma muito fácil e prática.

Aí chega a hora de encontrar seu fornecedor. O primeiro passo é decidir quais produtos quer vender, para quem e por qual valor. É possível comprar de um atacadista ou operar pelo modelo dropshipping. Mas é importante escolher produtos de qualidade, afinal, sua reputação e seus lucros dependem disso.

Busque pela internet, diretórios e publicações especializadas, mas não deixe de buscar recomendações de quem trabalha no mesmo negócio. Para facilitar, existem aplicativos para busca de produtos que funcionam muito bem para quem vende com a Shopify. 

Cinco oportunidades de negócios em revenda

As revendas abrem as portas para muitas oportunidades, já que você não precisa ter o investimento inicial para desenvolver e fabricar produtos. Ou seja, é uma atividade ideal para quem quer trabalhar em casa ou precisa de uma renda a mais. Quem sabe você acaba se tornando seu próprio chefe em tempo integral? Sendo assim, juntamos cinco ideias como sugestões.

1. Dropshipping

Este método lhe permite oferecer uma infinidade de artigos sem sequer ter que comprar seu próprio estoque. Você só divulga e vende os produtos. Quando fecha uma venda, avisa o fornecedor, que vai lá e cuida do frete diretamente. Todo o trabalho de fabricação, estoque, desenvolvimento e frete fica por conta dele.

O risco é baixo, já que não requer um alto investimento inicial, e não envolve os custos de armazenamento e manutenção de estoque. Mas é essencial ter a certeza de que os prazos sejam respeitados, as compras enviadas e os produtos sejam de boa qualidade. Sem isso, todo seu esforço vai por água abaixo.

2. Calçados, cosméticos, vestuário

Consumidores não só precisam, como sempre desejam, novos tipos de calçados, produtos de beleza, bijuterias e vestuário. É fácil atraí-los mostrando os atrativos dos produtos através de fotos e vídeos. As oportunidades são enormes, e os lucros também podem ser.

3. Brechó chique

Por questões de estilo e sustentabilidade, os brechós estão cada vez mais badalados e procurados. E muita gente gosta de comprar em brechós on-line, já que outra pessoa teve o trabalho de garimpar as peças mais interessantes, vintage, raras e bacanas. É possível comprar estas peças por preços baixos, investir numa boa sessão de fotos e lucrar com muito estilo.

Este nicho do mercado vem crescendo bastante ultimamente, motivado por vários fatores, seja a vontade de ter uma personalidade única ou até mesmo preocupações ecológicas que levaram muitas pessoas a rejeitar o mercado de fast-fashion.

Se você tem um olhar voltado para a moda e energia para o garimpo em brechós, lojas de caridade e outros locais semelhantes, poderá ganhar dinheiro ajudando boas causas, o planeta e as pessoas a se vestirem de forma ainda mais estilosa e descolada.

4. Venda consignada

Gostou da ideia do brechó? Muitos deles trabalham com o modelo de venda consignada, que funciona também em lojas que vendem artigos de luxo usados ou seminovos. O modelo também funciona para muitos outros tipos de produtos mais especiais, como instrumentos, artigos para colecionadores, livros raros ou discos.

A consignação significa que o proprietário do objeto lhe dá permissão para vendê-lo e, quando ele é comprado, você retira uma comissão e paga o restante do valor para o dono. Para que este tipo de negócio dê certo, é importante construir um relacionamento de confiança com os consumidores e as pessoas que lhe fornecem os objetos, assim você garante ter prioridade para os melhores produtos.

5. Caixa de assinatura

Elas surgiram de repente e viraram uma febre — as caixas de assinatura operam num modelo onde o consumidor paga uma taxa mensal e recebe uma caixa surpresa com produtos do seu interesse. O comerciante encontra os produtos e faz a curadoria.

Elas funcionam no ramo dos cosméticos, para quem gosta de experimentar coisas, alimentos, vinhos, chocolates... Tudo que a imaginação mandar, na verdade. Você monta as caixas e as envia no prazo combinado, seja ele semanal, mensal ou outro. É importante encontrar produtos interessantes e de qualidade, assim, os assinantes continuam pagando pois permanecem empolgados com a chegada das caixas.

Empolgou com a ideia de começar a atuar em revenda? A boa notícia é que você pode começar hoje mesmo. Não importa se não tem um investimento inicial, estoque, espaço ou estrutura. Ao se tornar revendedor, você trabalha num modelo de baixo risco e começa a acumular experiência em administrar sua própria loja virtual.

QUER ELEVAR O NÍVEL DA SUA LOJA ON-LINE

Inicie um período de teste grátis na Shopify com toda a tranquilidade, sem precisar colocar os dados do seu cartão de crédito.

Perguntas frequentes sobre revenda

Trabalhar com revenda dá dinheiro?

Um negócio de revenda pode ser bem lucrativo para quem compreende seu público-alvo, o mercado e os produtos que vende. Dependendo do nicho, pode-se comprar artigos seminovos ou usados e vendê-los por um valor bem superior.

Onde os revendedores compram os produtos que vendem?

As fontes podem ser variadas: atacadistas, fabricantes, brechós e até leilões.

Quanto custa para me tornar revendedor?

O mais legal é que começar a trabalhar com revenda costuma ser muito mais acessível do que se pensa. Você só precisa de uma fonte de artigos com um bom preço, uma loja virtual e do público certo, é claro.

Tópicos:

Quer abrir uma loja virtual?